Grécia – Creta

Grécia – Creta

14 Setembro, 2016 1 Por Piki

Creta, a maior ilha grega é um paraíso cheio de coisas boas para explorar. Desde a gastronomia até às praias paradisíacas, ou pequenas vilas, é mesmo uma ilha a não perder. Por isso em vez de fazer um post exaustivo sobre tudo o que se passou, vou dar-vos várias dicas e explicar um pouco do que fiz e o que me explicaram a mim, mas em vários posts.

Primeiro que tudo, o aeroporto de Heraklion!

Meu Deus, o aeroporto é minúsculo, o que não deixa de ser curioso porque é um dos mais importantes da Grécia, e é estranhamente despido de publicidade e das luzes habituais num aeroporto. A meu ver tem muito menos “barulho visual” que nos outros sítios, o que não é mau de todo mas é como se nos fizesse sentir longe da civilização.

O tio do nosso amigo veio buscar-nos para irmos deixar as coisas a casa e foi logo um filme para enfiar as malas dentro do carro, viajar com mulheres não é fácil, claro que cada uma de nós levava a sua MEGA mala de férias, não fosse o mundo acabar entretanto e não termos todo o roupeiro connosco…

A aventura começou logo no carro! Ora os leitores do blog que já estiveram em Creta que se expressem, mas todos notaram a condução desmiolada da malta em Creta certo?

Então a “regra” é a seguinte: conduzir o mais à direita possível, se possível com a linha branca delimitadora da estrada, debaixo do vosso carro. Se a estrada tiver duas faixas é como se tivesse 4, podem circular perfeitamente carros em contra mão, toda a gente se desvia, na boa, não há cá buzinadelas nem complicações, é do género “sai da frente Guedes” e pronto, tudo se entende! Quem circula de mota “esquece-se” do capacete e conduzir enquanto se fala ao telemóvel também não é impeditivo… A única coisa que é para respeitar é o radar, e há radares por todo o lado! No entanto apesar desta balbúrdia, toda a gente se entende e não vi um único acidente (acho que foi por sorte)…

creta

Almoçámos na casa dos tios do nosso amigo, e só tenho a dizer que os gregos são das pessoas mais hospitaleiras que existem, além de serem super queridos, quando chegámos, mortos da viagem, os tios dele tinham um banquete gastronómico à nossa espera e não paravam de trazer doces e mais docinhos típicos, tudo homemade. Fiquei super fã de Kalitsounia, pequenos bolinhos recheados com mizithra (um queijo branco tipicamente grego), e “salpicados” com mel. Uma delícia!

creta-doces

À tarde, como estávamos loucos por praia, fomos experimentar a praia de Ammoudara, em Heraklion. A praia é simpática, fica numa baía mais resguardada, o que não nos impediu de fazermos praia num dia em que estava um pouco vento. Existe um bar mesmo na praia, com uns hambúrguers e snacks deliciosos que nos deu uma espécie de bónus, o de ficarmos com uma palhota e cadeiras de praia para todos, gratuitamente! 🙂 Pelo que percebi nos dias que estivémos em creta, tirando as praias mais turísticas, esta é uma prática comum, quando o cliente consome algo no restaurante pode usufruir das cadeiras e dos chapéus de sol à vontade sem ter de pagar um aluguer diário.

O assunto praias mesmo boas boas boas, fica para os posts seguintes! 😉

creta-blog